Sem Fungos

Atualmente o Brasil é o 5° consumidor de produtos de amendoim no mundo. Há necessidades de conscientização da população que tem preferido alimentos com elevado valor nutricional e energético como o amendoim, seja o in natura ou de produtos a base de amendoim como as pastas, paçocas e cremes e estes podem apresentar a toxina que é prejudicial a saúde.

A população consumidora incluindo adultos e crianças devem estarem em alerta ao fato de que alguns amendoins podem desenvolver as aflatoxinas que são toxinas produzidas por fungos contaminantes que podem estar presentes deste o plantio, colheita e armazenamento do amendoim, podem estes serem industrializados e chegarem ao consumidor final sem serem fiscalizados ou analisados por órgãos competentes como o Ministério da Saúde.

Preocupa-se com esta atual situação e verifica-se a importância de anunciar dos perigos que a população consumidora pode estar em risco ao ingerir o amendoim contaminado por aflatoxinas, entre os principais efeitos à saúde humana causados pelas aflatoxinas estão: a hepatite do tipo B, sérios danos ao sistema nervoso e o câncer primário do fígado.

Muitas das aflatoxinas têm afinidade por um determinado órgão ou tecido, sendo o fígado, os rins e o sistema nervoso os mais afetados.

Minha História

A paixão pelo empreendedorismo e sustentabilidade veio aos 16 anos após ganhar o prêmio Cooperativa Escolar. Aos 20 anos, antes da colação de grau em Farmácia, fui a primeira da turma a ser contratada como farmacêutica responsável. Mais uma grande conquista.

Aos 17 anos ingressei no curso de Farmácia na Universidade de Marília no Estado de São Paulo, deixando minha família no Paraná e indo busca de minha realização pessoal e profissional.

Aos 20 anos de idade atuava como Farmacêutica responsável técnica em umadrugstore, atividade a qual desempenhei em período integral por mais de 10 anos.
Como profissional de uma área ligada a ciências, sempre estive em contato com o mundo acadêmico, completando uma especialização, mestrado enquanto ainda trabalhava.
Para então, me dedicar integralmente ao doutorado e à vida acadêmica em 2011, tendo uma experiência de 3 anos como professora universitária.

Sempre estive engajada em projetos sustentáveis e sociais, fui selecionada como colaboradora na Jornada Mundial da Juventude, e realizo inúmeros projetos ligados à igreja, como  por exemplo, no grupo de partilha dos profissionais católicos. Inclusive, foi durante uma ação social na cidade de São Paulo com moradores de rua que desabrochou a paixão para realizar minha pesquisa de tese sobre a avaliação ambiental nas cooperativas de materiais recicláveis.

Em 2015 quando defendi o PhD da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo USP senti-me imensamente feliz e realizada por ser a primeira mulher a receber o título de PhD em minha cidade natal de Santo Antônio da Platina no PR.

O próximo passo agora é o que eu tenha acesso às ferramentas de gestão necessárias para a conquista de meus objetivos profissionais e expanda meu Networking, permitindo a expansão do projeto na América Latina.

Além disso, a oportunidade de conhecer os centros financeiros da Ásia, a França e os EUA através da minha persistência e coragem, vai permitir-me ampliar a rede de contatos com grandes empresas farmacêuticas, nos EUA,  na França na Ásia, essencial para o sucesso do projeto no sistema de gestão de segurança alimentar.

Siga-nos

Facebooktwitterlinkedininstagram